ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO NA GRAVIDEZ – PORQUE PODE SER IMPORTANTE

ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO NA GRAVIDEZ – PORQUE PODE SER IMPORTANTE

PSICOLOGIA E MATERNIDADE/PATERNIDADE

Leia tudo

A gravidez é um período em que não só o corpo da mulher sofre muitas transformações, mas suas emoções também. Estas transformações irão afetar, além da vida da própria mulher, também a de todas as pessoas envolvidas nesta nova fase, seja de seu companheiro, de familiares ou de outros filhos já existentes. Por isso, além do acompanhamento médico pré-natal, estritamente necessário, o acompanhamento psicológico é muito importante para manter o equilíbrio entre a saúde física e emocional, não só da mãe, mas do bebê também.

Muitas vezes antes mesmo da gravidez, isto é, quando se começa o planejamento para engravidar, a orientação psicológica já pode trazer ganhos significativos. Por ser uma fase em que estão envolvidos sentimentos de ansiedade e expectativa na tentativa de se engravidar, um psicólogo poderá ajudar a manter estes níveis de estresse mais baixos, o que pode tornar o processo mais simples.

E quando a gravidez não foi planejada? Desejada ou não, o fato é que muitas vezes a gravidez acontece em momentos em que o casal não espera, ou em que não se está totalmente preparado. Neste caso também a terapia psicológica será uma aliada para que se compreendam quais serão as mudanças efetivas enfrentadas neste período, quais serão as decisões que deverão ser tomadas, as responsabilidades que precisarão assumir e também ajudará a mulher e seu parceiro a lidarem com esta mudança repentina.

Os noves meses de gestação (às vezes menos, quando o parto é prematuro) serão recheados de idealizações sobre o bebê, descobertas, palpites vindos de todos os lados, vontades, sentimentos e manifestações corporais diversas. Não é fácil enfrentar tudo isso “de uma hora para outra”. É como se há alguns meses atrás a mulher fosse uma pessoa completamente diferente do que é enquanto gestante – e depois, como mãe. É preciso repensar tudo: a rotina, a carreira profissional, o relacionamento com o parceiro, a saúde. Além de claro, planejar o quarto, o enxoval, o chá de fraldas, a mala da maternidade e tantos detalhes. Sem falar também no parto e as incertezas e medos que ele traz – será normal ou cesariana? É uma carga emocional muito grande, que já conta com uma “forcinha” dos hormônios em alteração. Por isso a terapia pode fazer com que este período seja menos complicado, pois à medida em que a mulher se conhece, conhece suas reações e emoções, estará mais preparada para entender estas modificações e como lidar com elas sem tanto sofrimento, sem tanta culpa e de uma forma mais leve.

E o pai, precisa de psicólogo? O ideal seria que o casal “grávido” passasse por este processo de orientação juntos, já que ambos estarão envolvidos nesta transformação toda e precisarão aprender a lidar não só com o bebê, mas também um com o outro. A paternidade também é um momento que irá trazer mudanças emocionais, questionamentos, incertezas e idealizações para o homem, além das angústias em presenciar as transformações sofridas pela mulher.

Muitos temas poderão ser abordados pelo casal gestante em psicoterapia, como a sexualidade, as dificuldades ou mudanças na forma de se relacionarem, expectativas, maneira de combater o estresse da fase, o modelo de pai ou mãe que cada um traz em sua história de vida, entre outros.

Quanto mais preparados os pais estiverem durante a gravidez, melhor irão lidar com a nova vida que chegará com o nascimento de um filho.

OBS.: Todo o conteúdo desta e de outras publicações deste site tem função informativa e não terapêutica.

Posts Relacionados