Caetano Veloso e MTST abandonam Lula a uma semana de seu julgamento

Caetano Veloso e MTST abandonam Lula a uma semana de seu julgamento

Falta de convicção ou oportunismo? É estranho perceber que aliados tradicionais do ex-presidente Lula o abandonaram justamente às vésperas de do julgamento de seu recurso no TRF-4, considerado o momento mais dramático de sua vida. Pessoas como Caetano Veloso, Pablo Capilé, controlador da Mídia Ninja, e Guilherme Boulos, líder do MTST, simplesmente ignoraram os apelos do ex-presidente no sentido de manifestarem seu apoio neste momento de aflição do petista que tanto ajudou-os financeiramente.

Leia tudo

O PT tentou promover atos em defesa de Lula este sábado (13), em diversas
capitais do país para pressionar as autoridades a pouparem Lula da prisão e de
permitirem que ele possa disputar as eleições presidenciais de 2018.



A ausência de Caetano Veloso, Pablo Capilé e Guilherme Boulos, bem como os
grupos que eles controlam, nas manifestações em defesa de Lula, deixou o
ex-presidente decepcionado. O PT também sentiu o baque. A presidente do partido,
Gleisi Hoffmann, afirmou que "é importante que os movimentos populares se
articulem na defesa do ex-presidente neste momento".



Outros tradicionais aliados de Lula e do PT como Letícia Sabatella, Wagner
Moura, Gregório Duvivier, Jean Wyllys, Marcelo Freixo e lideranças do PSOL
também não se manifestaram ou participaram dos atos em favor do petista. Na
página do Mídia Ninja, nenhuma publicação sobre os atos em defesa de Lula
programados para a manhã deste sábado. O grupo preferiu abordar um protesto de
vascaínos contra Eurico Miranda. Na página do deputado Jean Wyllys no Facebook,
nenhuma menção aos atos em favor de Lula.