Galo e Jô não chegam a um acordo; nova audiência é marcada para 2019

Galo e Jô não chegam a um acordo; nova audiência é marcada para 2019

Atacante, que defendeu o Atlético-MG entre 2012 e 2015, cobra indenização por convocações, direito de arena e atraso de verbas rescisórias; processo terá novo capítulo

Leia tudo

Atlético-MG e Jô se reencontraram nesta segunda-feira, mas em um palco pouco comum: o tribunal. O atacante, que defendeu o clube entre 2012 e 2015, cobra uma indenização de ao menos R$ 872 mil por convocações para a seleção brasileira, direito de arena (valor recebido pelos clubes para a reprodução das imagens de eventos esportivos) e uma multa por atraso no pagamento de verbas rescisórias. Pouco tempo depois do início do processo, o clube mineiro publicou uma nota oficial rebatendo o pedido do atacante. A primeira audiência, nesta segunda-feira, não mudou muita coisa.
O encontro entre o atleta e representantes judiciais aconteceu na 20ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte. Não houve proposta de acordo de nenhuma das partes, e uma nova audiência foi marcada para julho de 2019. A reportagem do GloboEsporte.com esteve no local. Jô não quis gravar entrevista.
O advogado que representou o Atlético-MG na audiência foi Bruno Cardoso Pires. Jô foi representado pelos advogados Tiago Lenoir Moreira e Leonardo Laporta Costa. Cláudio Roberto Carneiro de Castro é o nome do juiz responsável pelo processo.

Posts Relacionados