Patinadora canadense salva cãozinho de virar comida chinesa

Patinadora canadense salva cãozinho de virar comida chinesa

Governo sul-coreano pediu aos restaurantes perto da Aldeia Olímpica para não servirem carne de cão, mas a prática continua a ser comumMeagan Duhamel, de 32 anos, é uma patinador canadiana duas veze

Leia tudo

Governo sul-coreano pediu aos restaurantes perto da Aldeia Olímpica para não servirem carne de cão, mas a prática continua a ser comum

Meagan Duhamel, de 32 anos, é uma patinador canadiana duas vezes campeã do mundo, que está a participar nos Jogos Olímpicos de inverno, que se estão a disputar em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Meagan Duhamel adotou um cão, enquanto está nos Jogos, e salvou-o de ser servido como iguaria para humanos.

A história é explicada pelo Metro, que acrescenta que a patinadora já havia adotado um outro cão na sua outra passagem pela Coreia do Sul, em fevereiro do ano passado. O cachorro agora resgatado não vai viver com a atleta, visto que ela não tem o "luxo de ter outro cão num apartamento pequeno". "Por mais que amasse, não consigo", afirmou.

O governo sul-coreano ordenou aos restaurantes que estão próximos da Aldeia Olímpica para pararem de servir carne de cão, para "não dar uma má impressão aos estrangeiros", de acordo com Lee Yong-bae, membro do governo regional de Pyeongchang.

No entanto, pratos como a sopa de cão continuam a ser servidos, depois de as vendas dos restaurantes descerem quando a carne de cão foi trocada por porco ou cabra.