Rogério 157 passou por sete favelas da Zona Norte do Rio até ser preso no Arará

Rogério 157 passou por sete favelas da Zona Norte do Rio até ser preso no Arará

A Polícia Civil monitorou passagens de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, por sete favelas da Zona Norte do Rio e uma favela de Niterói, na Região Metropolitana, até o traficante ser preso na

Leia tudo

A Polícia Civil monitorou passagens de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, por sete favelas da Zona Norte do Rio e uma favela de Niterói, na Região Metropolitana, até o traficante ser preso na manhã desta quarta-feira na favela do Arará, em Benfica, também na Zona Norte. Todas essas comunidades são dominadas pelo Comando Vermelho (CV), facção que aceitou a entrada do criminoso após sua ruptura com a Amigos dos Amigos (ADA), em setembro deste ano — após a guerra contra o bando de Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, na Rocinha.

Logo após deixar a comunidade da Zona Sul, Rogério passou pelas favelas do Turano e Fallet, no Rio Comprido, onde negociou a entrada em sua nova facção com Paulo César Baptista de Castro, o Paulinho do Fallet. Depois, ainda passou pela Nova Holanda, na Maré; Vila Cruzeiro, na Penha; Jacarezinho, Mangueira e, mais recentemente, pelo Arará, onde foi capturado.

Na Mangueira, a Polícia Civil prendeu, no início de novembro, o braço direito de Rogério, Alberto Ribeiro Sant'anna, o Cachorrão. A Mangueira também era a favela onde o traficante estava horas antes de ser preso. Segundo as investigações que culminaram na captura de Rogério, ele saiu da comunidade de madrugada e foi dormir no Arará, onde chegou por volta das 3h. A polícia sabia que Rogério usava a favela para repousar após bailes funk.

O chefão também foi monitorado fora da cidade do Rio. Em outubro, PMs do 12º BPM (Niterói) fizeram uma operação para prender Rogério 157 no Morro do Palácio, em Niterói. A ação terminou com dois bandidos presos dentro de um carro roubado, com maconha e cocaína. Rogério não foi encontrado.

Policiais que participaram da prisão de Rogério 157 afirmaram, no registro de ocorrência feito logo após a captura, que o criminoso foi detido no telhado da casa número 124 da Avenida Carlos Mattoso Corrêa, dentro da favela do Arará. A polícia tinha a informação de que o traficante estava num trecho da rua onde Rogério foi encontrado. A fuga de seguranças do criminoso chamou a atenção dos policiais, que entraram na casa. O traficante não apresentou resistência à prisão.

Após ser capturado, Rogério fingiu ser outra pessoa, Marcelo Souza Silva, primo da dona da casa. Os policiais, no entanto, começaram a questioná-lo sobre os nomes de parentes da mulher. Rogério não sabia e acabou confessando sua identidade. A casa onde o traficante foi preso fica a 700 metros, ou dez minutos a pé, da Cadeia Pública José Frederico Marques, onde o ex-governador Sérgio Cabral e os demais presos da Lava Jato no Rio estão presos.

Posts Relacionados