TÉCNICA PARA ACABAR COM O RONCO

TÉCNICA PARA ACABAR COM O RONCO

O ronco é um problema que não é de hoje! Quem nunca teve dificuldades para dormir por causa de alguém roncado muito alto? Ou, por que não, quem nunca roncou muito durante a noite e atrapalhou o sono

Leia tudo

O ronco é um problema que não é de hoje! Quem nunca teve dificuldades para dormir por causa de alguém roncado muito alto? Ou, por que não, quem nunca roncou muito durante a noite e atrapalhou o sono de alguém e acabou sendo acordado pela pessoa reclamando “você tá roncando muito!”, né?

Segundo pesquisas, mais da metade (54%) da população adulta sofre de ronco, e isso acontece bem mais com pessoas obesas e idosas. Mas o ronco também é bastante recorrente em mulheres na pós-menopausa. Nessa fase da vida feminina, muitas delas podem se tornar “roncadoras” se nada for feito.

Os pesquisadores do Laboratório do Sono do Incor desenvolveram uma técnica de tratamento que, se praticada diariamente, reduz a frequência e a altura do ronco até ele se tornar quase imperceptível. A nova técnica consiste numa série de exercícios para fortalecer os músculos envolvidos na produção do ronco.

Como são os exercícios:

1 – Empurre a língua contra o céu da boca e deslize-a para trás;

2 – Sugue a língua para cima, pressionando-a contra o céu da boca;

3 – Forçar a língua contra o “chão” da boca, mantendo a ponta em contato com os dentes da frente inferiores;

4 – Elevar a parte de trás do céu da boca e a úvula (conhecida como “campainha”) enquanto diz a vogal “A”;

5 – Posicionar o dedo na parte interna da bochecha entre os dentes e pressionar a bochecha para fora (cada lado da boca);

6 – Durante a alimentação, manter uma mastigação bilateral alternada e deglutição usando a língua no palato.

Com duração de oito minutos, os exercícios devem ser realizados três vezes ao dia e, para facilitar ainda mais os resultados, é interessante incorporá-los às atividades rotineiras, como se alimentar, escovar os dentes ou indo para o trabalho, por exemplo. Também é muito importante buscar o acompanhamento de especialistas como um fonoaudiólogo. 😉