TÉCNICA PSICOLÓGICA PARA O CONTEXTO DA CIRURGIA GASTROINTESTINAL

TÉCNICA PSICOLÓGICA PARA O CONTEXTO DA CIRURGIA GASTROINTESTINAL

COLUNA RENAN GOMES LARA, PSICOLOGIA E ALIMENTAÇÃO, SAÚDE MENTAL E EMOÇÕES, TRANSTORNOS ALIMENTARES

Leia tudo

O psicólogo em sua atuação clínica atende a diversas demandas que chegam ao seu consultório, pois é de grande importância esse profissional estar pautado a exercer com ética e zelo seu atendimento. Ter domínio das técnicas a serem utilizadas para a cirurgia gastrointestinal a fim de avaliar o paciente com olhar holístico, sendo capaz a construir em conjunto esse processo dinâmico paciente-terapeuta.

Para nossa compreensão procuramos entender o conceito da obesidade como sendo um distúrbio de origem multifatorial complexa que congrega inúmeros aspectos de ordem como: psicológica, social, biológica e requer abordagem dinâmica para compreensão, diagnóstico e tratamento adequados.

Dessa forma Machado (2007) afirma que a técnica assim como o teste psicológico em si são muito importantes para que o profissional possua uma observação apurada do avaliando nos seguintes aspectos: condições físicas (medicações, estado de cansaço, problemas visuais e auditivos, alimentação, entre outros) e condições psicológicas (problemas situacionais, alterações comportamentais), procurando identificar possíveis situações que possam influenciar futuramente na qualidade do desempenho da cirurgia.

Sendo assim, é considerada como um dos fatores de risco a compulsão alimentar e o aspecto emocional do indivíduo, pois poderá contribuir para desencadear o ato de comer demasiadamente após o procedimento cirúrgico, trazendo problemas para a vida do paciente.

Muito divulgada na mídia, a cirurgia gastrointestinal ou “bariátrica” é grande aliada na importância da redução de peso e melhora das inúmeras comorbidades de pacientes obesos, mas existe a preocupação, e que em muitos casos não é discutida, das alterações do comportamento alimentar que podem vir a trazer complicações no pós-operatório e comprometer o resultado da operação.

A realização desse procedimento invasivo requer amplo campo de investigação por parte do psicólogo, utilizando de técnicas adequadas para identificar possíveis pensamentos distorcidos que poderão surgir após a realização do procedimento cirúrgico, explicar toda a nova adaptação a qual será submetido o paciente e à educação alimentar que será seguida rigorosamente, pois somente com um estudo detalhado do comportamento passado do paciente poderemos compreender o correlator de comportamento futuro.

Referências:

MACHADO, Adriane Picchetto. Manual de Avaliação Psicológica / Adriane Pichetto Machado, Valéria Cristina Morona. – Curitiba: Unificado, 2007.

MACHADO, C. E; ZILBERSTEIN, B; CECCONELLO, I; MONTEIRO, M. Compulsão alimentar antes e após a cirurgia bariátrica. ABCD Arq Bras Cir Dig 2008, 21 (4): 185 – 91. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abcd/v21n4/v21n4a07.pdf Acesso em: 09 de Dezembro de 2016.

Imagem: Pinterest

Posts Relacionados